Governo do México promete para abril de 2021 concluir construção de trólebus BRT em elevado

ADAMO BAZANI / DIARIO DO TRANSPORTE

O governo mexicano apresentou na última semana o andamento das obras do Trólebus Elevado Eje 8 Sur, um BRT com trólebus em elevado que terá 7,4 quilômetros de extensão.

Em torno de 14% das obras avançaram e a previsão de entrega é em abril de 2021.

O custo total do projeto é de 2,9 bilhões de pesos (US$ 136 milhões) e as obras começaram em maio deste ano.

Segundo a apresentação, o sistema terá dois terminais da Eje 8 Sur Ermita- Iztapalapa, da Constituição de 1917 à Universidade Nacional Autônoma da Cidade do México (UACM) “Casa Libertad”. Serão oito estações intermediárias: Deportivo Santa Cruz, Santa Cruz Meyehualco, DIF Iztapalapa, CECyT 7, Las Minas, Plaza Ermita, Las Torres e Penitenciaria.

O sistema de trólebus terá conexão com o Centro de Transferência Modal (Cetram) Constitución de 1917, ou seja, com a Linha 8 do Metrô do Sistema de Transporte Coletivo (STC), ponto de ônibus e Cablebús Linha 2.

Haverá 50 trólebus articulados em operação com baterias para autonomia de 75 km e sensores anti-colisão.

A estimativa é de uma demanda de 76 mil passageiros por dia.

A prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum Pardo, destacou em nota que a obra irá contribuir para melhorar a mobilidade dos habitantes da zona Leste da capital do país e garantir um transporte público de massa mais eficiente, ao incorporar novos trólebus mais confortáveis ​​.

“Quero enfatizar que é único no mundo; É um desenho da cidade e temos a convicção de que terá implicações muito importantes, não só para a cidade, mas também uma amostra do que pode ser este tipo de projeto, que acaba por resultar num montante inferior. Eles têm uma capacidade muito importante, são elétricos, de baixa emissão e permitem um transporte público muito eficiente para essa área tão fundamental ”, destacou.

O Secretário de Obras e Serviços (Sobse), Jesús Antonio Esteva Medina, informou que o viaduto elevado terá 5,5 metros de altura, será cimentado com estacas de até 30 metros de profundidade, terá uma estrutura principal composta por colunas e vigas de aço estrutural, formando pórticos a cada 25 metros.

As obras estão distribuídas em três frentes de trabalho e divididas, por sua vez, em 10 intertramos, que representam 35 pontos ativos trabalhando simultaneamente. Da mesma forma, são contempladas duas etapas de execução das obras civis, a primeira etapa inicia-se na Constituição de 1917 e termina na UACM “Casa Libertad”; a segunda etapa será da UACM “Casa Libertad” até o Santa Marta.

“Além disso, essa obra tem a característica de que as estações serão acessadas em nível. Assim, trazemos um total de 17 passagens de nível e isso vai levar ao desmantelamento de cerca de 14 passarelas, que neste momento nem estão a funcionar e a dar a segurança necessária; vai haver uma intervenção completa ao nível da rua ”, explicou.

TRANSPORTADORES ATUAIS VÃO OPERAR OS TRÓLEBUS:

Na nota, o governo da Cidade do México informou que o projeto contemplou a incorporação de concessionárias das Rotas 1 e 14.

Assim, segundo o secretário de Mobilidade, Andrés Lajous Loaeza, os atuais transportadores vão operar os ônibus elétricos.

“Estivemos à mesa com eles justamente na revisão do projeto e eles serão incorporados. Os transportadores veem de forma positiva poder operar ônibus elétricos como os trólebus, então também nesse sentido as pessoas que já prestam o serviço de transporte hoje se profissionalizarão e vão incorporar em um sistema de transporte estruturado ”, comentou.

TRÓLEBUS COM BATERIA:

Na mesma nota, à qual o Diário do Transporte teve acesso, o diretor do Serviço de Transporte Elétrico (STE), Guillermo Calderón Aguilera, destacou que os 50 trólebus articulados que vão operar no Viaduto Elevado já estão no México e estão em testes estáticos e dinâmicos, os quais foram adquiridos com um investimento de 680 milhões de pesos com as diretrizes do Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos (UNOPS).

Eles têm sistema de bateria autônomo para poder operar sem conexão com a catenária por mais de 75 quilômetros, capacidade para 145 passageiros, vagas específicas para pessoas com deficiência e cães-guia. Haverá uma área específica para mulheres, oito câmeras de videovigilância para monitorar o que acontece dentro e na estrada de forma permanente, tem voz dentro e fora ”, indicou.

O diretor as STE também comentou que as unidades são equipadas com um sistema de sensores inteligentes para indicar ao operador a proximidade de um obstáculo e um sensor frontal, são altamente eficientes em termos energéticos, 50% mais eficientes do que os trólebus anteriores e com um funcionamento silencioso. Além disso, todas as estações que ficarão ao longo do Trólebus Elevado terão sistemas de coleta e videomonitoramento.

Veja a apresentação do projeto completa à qual o Diário do Transporte teve acesso:

                            

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Governo do México promete para abril de 2021 concluir construção de trólebus BRT em elevado

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.